Acompanhe nossa postagens no Google

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Mais uma igreja é interditada em Araguaína -TO



Perseguição religiosa em Araguaína ganha contornos mais graves e mais uma igreja é interditada pela gestão do Prefeito Ronaldo Dimas.

O Pastor Tiago Moreira da igreja Nova Jerusalém, localizada na rua Tomaz Batista bairro JK, denunciou mais um abuso do Município contra as igrejas na cidade fechando mais um templo. “Fiquei triste, pois a nossa igreja já estava toda construída, com forro, piso, só faltavam as janelas, e o fiscal veio aqui e deu a ordem pra fechar as portas. Nunca ninguém veio aqui na época da construção dizer que faltava isso ou aquilo. Depois de tudo pronto, eles vem e lacram a igreja”, disse o pastor.

Para o pastor Tiago Moreira o templo teria sido interditado pelo chefe dos fiscais da prefeitura, Tiago Spacassassi Nazário, que teria alegado falta de documentação da igreja para a construção do templo, que mede 6×12 mts.

Repercussão

O caso do JK repercutiu entre as lideranças evangélicas. Para o pastor Luciano Galvão, do Ministério Reinando em Cristo, localizado no setor Sonhos Dourados, fechar igreja é um indicativo de perseguição religiosa. “Por que essa atitude só com as igrejas evangélicas? Por que não se faz a mesma coisa com bares e festas que tanto incomodam as famílias? Há uma perseguição às igrejas evangélicas de Araguaína. O inimigo está incomodado com a ação da igreja e tenta atrapalhar nosso trabalho sério que recupera vidas para a sociedade. Mas não podemos estranhar atitudes assim, está na Bíblia que isso já aconteceu e que poderia acontecer, mas não vamos nos enfraquecer nem nos intimidar com essas ações”, disse Galvão.

Prefeitura

Em nota, a Prefeitura responde à denúncia: “Informamos que a interdição do prédio da Igreja Pentecostal, localizada Rua Tomaz Batista, no Bairro JK, foi solicitada pelo Ministério Público, em ofício assinado pelo Promotor de Justiça, Rodrigo Grisi, devido a falta de regulamentação do prédio (Alvará de Construção, desrespeito aos recuos e planejamentos técnicos, bem como projeto arquitetônico). O prédio dessa Igreja já havia sido notificado e interditado ainda na gestão passada, em outubro de 2012, pela Promotora de Justiça Ana Paula Catini. O Departamento de Posturas do Município informa ainda que apenas EXECUTOU a solicitação do Ministério Público. Com informações do Portal Rede TO
Via Jornal da Missão