Acompanhe nossa postagens no Google

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

A Restauração por meio de um relacionamento com Jesus



˜Desde minha infância percebi que alguma coisa estava errada comigo...A masturbação começou a ser mais esporádica, até que encontrei sites pornográficos gays...˜
D. Piracicaba/SP

A Restauração por meio de um relacionamento com Jesus
O que precisamos entender a princípio é o que seria um relacionamento com Jesus. E por referências bíblicas podemos notar que o relacionamento com Jesus (Deus) é semelhante a um relacionamento que desenvolvemos com uma pessoa, porém a diferença do relacionamento com Jesus é que ele é incomparavelmente mais transformador que outro tipo de relacionamento.
“Porque se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me ACOLHERÁ” Salmo 22:24
“...ele me invocará, e eu lhe responderei; na sua angústia EU ESTAREI COM ELE, livrá-lo-ei...” Salmo 91:15b
“Meus ouvidos já tinham ouvido a seu respeito, mas agora meus olhos te vêem.” Jó 42:5
“Vocês me procurarão e ME ACHARÃO quando me procurarem de todo o coração. Eu me deixarei ser encontrado por vocês...”Jeremias 29:13 e 14
Sabemos que a homossexualidade gera algumas situações que causam algum tipo de carência emocional, desta forma notamos que as pessoas que estão vivenciando o comportamento homossexual estão à procura de algo que elas de alguma forma sentem que faltam nelas. Observe que no relacionamento com Jesus podemos encontrar:
  • Amor (o qual buscamos desesperadamente em outros homens/mulheres)
  • Afirmação (o que buscamos das outras pessoas)
  • Poder (para vencer o pecado)
  • Fidelidade (o que dificilmente encontramos nos relacionamentos homossexuais)
Se entendemos que o relacionamento com Jesus é similar a um relacionamento com uma pessoa e que ele tem características que podem trazer transformação para minha vida, sendo que vou encontrar em Deus o que procuro nas pessoas. A questão agora é como entrar nesse relacionamento.
Você pode me dizer que fez uma oração para receber a Cristo como seu salvador, isso é muito bom, mas se queremos manter um relacionamento, apenas uma oração não é o suficiente, precisamos dedicar tempo a Ele, não é assim que desenvolvemos relacionamentos sadios com as pessoas?
O livro “A Cabana” relata bem o relacionamento que Deus deseja ter conosco, o relacionamento que precisamos. Deus se mostra como um Deus próximo que deseja estar conosco, não como uma amuleto, mas como um companheiro, um salvador, um amigo, um pai de amor.
Segue então o que fazer para aprofundar esse relacionamento:
  • Passar tempo com Ele por meio de oração (contemplação, rendição...);
  • Saber o que Ele quer de mim por meio de sua palavra;
  • Dar prioridade ao que Ele quer e deseja do que eu quero e desejo.
É importante frisar que a oração que estamos nos referindo não está relacionada a pedir alguma coisa para Deus. Temos sempre o hábito de nos aproximarmos de Deus em oração quando estamos precisando de algo, e esta oração para aprofundar o relacionamento não diz respeito a isso, diz respeito a contemplá-lo, a reconhecer Sua grandeza, a curtir Sua presença. Tenho certeza que se você tiver um amigo que se aproxima de você só quando quer algo, você logo vai perder o prazer de estar com ele, então se você se aproxima de Deus para pedir algo, não vai conseguir desfrutar do que realmente é um comunhão.
Você pode me perguntar: “legal esse texto, mas onde entra meus problemas com a homossexualidade, você nem deu ênfase para ele?”
Realmente não demos e não vamos dar ênfase para o seu problema com a homossexualidade. Entendemos que o relacionamento com Jesus é chave para uma vida plena, e como não consideramos a homossexualidade como pior do que outros pecados cremos que todos precisamos nos envolver nesse relacionamento para que nossas vidas sejam transformadas.
O processo não é deixar a homossexualidade e seguir a Jesus e sim se envolver com Jesus e esse relacionamento com Ele vai gerar vários frutos, dentre eles deixar a homossexualidade. E como mencionado acima Nele encontramos amor, afirmação, poder, fidelidade....
Material adaptado de Novos Caminhos por Denis G. Ferreira.
Remando contra a maré
O que vemos hoje em dia é que a mídia, os governos, as instituições e afins estão trabalhando para a promoção de direitos humanos aos que vivenciam a homossexualidade. Quanto a eliminar o preconceito, a violência social e a discriminação à pessoa que vive a homossexualidade nós concordamos em grau, número e gênero, aliás, todos precisam ser tratados com respeito.
Na igreja cristã fala-se em deixar a homossexualidade e nós mesmos acabamos usando esses termos para referir-nos as pessoas que viveram a homossexualidade e não vivem mais como se isso fosse o mais importante. Pode parecer irônico, mas na realidade nosso primeiro objetivo não é que as pessoas deixem a homossexualidade, pois sabemos que por meios de técnicas e procedimentos pessoas podem conseguir deixar a homossexualidade e conhecemos relatos de pessoas que viveram algum momento de suas vidas como homossexuais e depois abandonaram esse estilo de vida por vontade própria, por isso, está claro que pessoas podem deixar de viver esse estilo de vida sem precisar de uma intervenção divina ou espiritual.
A questão central que pontuamos é que queremos que as pessoas tenham um relacionamento pessoal com Deus, seguindo o modelo de Jesus.
Cremos que esse relacionamento pessoal com Deus, vai gerar mudanças significativas na vida delas, dentre elas: deixar a homossexualidade. Veja isso não como um milagre sobrenatural, mas resultado de um relacionamento com Deus.
Se existe uma coisa impossível é uma pessoa conhecer a Deus, se relacionar com Ele e não ter sua vida modificada, transformada... Á medida que somos agraciados por Seu amor, nossa vida tem alguma mudança e essa mudança vai corresponder aos padrões que Deus estabeleceu em Sua palavra.
O titulo do artigo, “remando contra a maré” se deve ao fato de as pessoas dizerem hoje: “deixe o seu pecado e venha a Cristo!”, “deixe a homossexualidade e venha!”. Mas nós, entendemos que o problema das pessoas é a falta de comunhão com Deus e essa falta de sintonia com o Criador faz então que comportamentos que não O agradam sejam desenvolvidos, reforçados e mantidos.
Sendo assim, nosso posicionamento é : cultive um relacionamento com Deus e então corresponda ao Seu amor.
Remamos contra a maré porque sabemos que deixar a homossexualidade tem sido muito difícil para pessoas que professam a fé cristã, exatamente porque elas estão começando da forma errada.
Existe um ditado que diz que a ordem dos fatores não altera o produto, mas, nesse caso específico e os relacionados à sexualidade, principalmente, alteram sim.
Se você tentou deixar a homossexualidade, a masturbação, a pornografia e não tem conseguido, com certeza deve se sentir cansado em relação a isso, talvez seja porque você esteja querendo deixar o comportamento para agradar a Deus.
E então nesse momento você deve pensar: “é claro que quero agradar a Deus!”
Note que escrevi acima que nesse caso a ordem dos fatores altera o produto (resultado).
Deixar o comportamento para agradar a Deus resulta em cansaço e frustração.
O que temos que fazer é ter nossa comunhão e intimidade com Deus como prioridades. Observe que não Deus como prioridade, porque Ele não quer ser o primeiro, já que o primeiro pode ser facilmente substituído pelo segundo, terceiro e assim por diante... Deus quer ser a vida em nós.
Deus está conosco o tempo todo, mas a sua percepção dessa presença é que faz a diferença. A Bíblia é clara ao dizer que se buscarmos a Deus de todo o coração, vamos encontrá-Lo.
Não sei se estou no direito de trocar as palavras da Bíblia, mas vou tomar liberdade para assim o fazer. Esse texto poderia ser dito assim: “se você notar que o Criador dos céus e da terra está contigo e, se você quiser, pode desfrutar dessa presença maravilhosa”.
Querido (a) o desfrutar dessa presença faz toda a diferença.
Então aqui não te incentivamos a deixar a homossexualidade como prioridade, nem a ter Deus como prioridade (ELE QUER SER A VIDA EM NÓS), mas lhe incentivamos a buscar a Deus por meio da oração. Se precisar, tome Jesus como modelo. De tempos em tempos Ele se retirava para falar com o Pai e suas conversas eram bem francas, ao passo que o Pai sempre lhe dizia o que tinha que fazer.
Estamos remando contra a maré do legalismo e da libertinagem.
Busque-O!
Remando contra a maré
Muitas pessoas acham que a salvação implica na ausência de lutas, que cristãos genuínos não devem enfrentar lutas e decepções e essa é uma falsa percepção da realidade, o próprio Jesus disse que no mundo teríamos aflições. (João 16: 33).
Desta forma, todos nós temos e teremos as cicatrizes do nosso passado. Todos nós estamos em restauração dos estragos causados pela queda do homem e pelas nossas próprias quedas.

Uma cicatriz é evidência de um ferimento, mas é também evidência de cura.

Gostamos sempre de fazer a analogia de pessoas que nasceram em um país e por algum motivo tem que mudar para outra cultura, essa pessoa vai sofrer com uma série de mudanças que terá que ter em seu novo estilo de vida. Da mesma forma pessoas que viveram por anos na homossexualidade, pessoas que assumirão a identidade gay, vão passar por um processo para conseguir se desligar dessa forma de pensar.
É bom entender que Jesus nos livra da culpa do que fizemos, mas Ele não apaga nossa memória, sendo assim, vamos lembrar das coisas que fizemos porém essas memórias não terão mais influência no nosso novo estilo de vida.
Precisamos entender que:
  •  A vida é difícil e todos passam por sofrimentos, tristezas, frustrações, perdas, etc;
  • Todos temos erros, todos temos áreas de vulnerabilidade e ter quedas em nossas fraquezas são naturais, não é o fim do mundo se elas acontecerem;
  • Ter bom senso de humor, fazer como o Ap. Paulo, encontrar contentamento nos momentos difíceis e de alegria, ajuda muito;
  • Ser perseverante também;
  • Nem tudo o que acreditamos é real, desta forma expectativas realistas são fundamentais;
Eis algumas das falsas expectativas comuns:
Um dia, como um “bom” cristão, atingirei um nível espiritual superior, acima dos meus problemas, como se em algum momento fosse entrar em um estado de nirvana;
  • Redenção implica na ausência de conflitos;
  • A redenção acontece como um relâmpago resolvendo todos os meus problemas instantaneamente;
  • Nunca mais vou lembrar o meu passado;
O que esperar corretamente?
Que Deus será sempre bom, fiel e presente conosco em nossas lutas;
Vou conseguir retomar o autocontrole e domínio próprio, em pensamentos e comportamentos;
Vou aprender a lidar com fraquezas e carências de forma saudável e não destrutiva e pecaminosa, não mais recorrendo a mecanismos de fuga;
  • Que Deus trará resolução a conflitos em nós, e ao nosso redor, que bloqueiam nosso crescimento – no Seu tempo e da Sua maneira.

    fonte: http://www.filhosdaesperanca.com.br/artigos.html