Acompanhe nossa postagens no Google

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Fundador dos Atletas de Cristo fala da importância de Nelson Mandela para Africa do Sul



Se não fosse o Mandela...

Durante 11 anos lecionei para lideres dos quatro cantos do mundo em uma escola de formação de lideres de ministérios esportivos em Stellenbosch na África do Sul.

Aproveitei uma dessas viagens para realizar um sonho: participar de um Safari! Para ganhar um dia a mais em minha aventura com leões, elefantes, rinocerontes, girafas e outros bichos mais, resolvi voltar no trem noturno para Johanesburgo onde pegaria meu vôo para o Brasil.

O dono da excursão foi comigo até a estação acompanhar o meu embarque. Ele era um coroa grandão, meio barrigudo, muito forte e descendente de holandeses nascido e criado África do tempo de Apartheid.

Na maior cara de pau ele furou ostensivamente, junto comigo, uma fila de umas 200 pessoas que esperavam o guichê abrir para comprarem suas passagens. Como não encontrou ninguém do outro lado da grade, ele começou a esbravejar e gritar numa língua que eu não entendia.

Quando o funcionário apareceu, ele o tratou aos berros que nem cachorro sem dono, até arrancar de suas mãos uma passagem para mim. Colocou o bilhete na minha mão, na frente de todos da fila furada, despediu-se rapidamente e foi embora, deixando-me, mudo e morto de vergonha e medo.

Um detalhe; eram todos negros e eu o único branco no meio da multidão deles. A sena foi tão grotesca que em nossa cultura eu deveria ser linchado merecidamente só por estar junto com aquele branco que cresceu tratando seus conterrâneos daquela maneira.

Os olhares da multidão focada em mim não eram lá muito amáveis, a noite inteira viajando numa cabine sem tranca na porta, foi um misto de insônia e pesadelos onde eu me via esfaqueado e jogado pela janela do trem...
Mas nenhum deles teve uma palavra, gesto ou atitude ofensiva contra a minha pessoa.


E assim eu senti na pele o que a liderança de um homem de boa vontade e princípios de paz pode exercer na vida e no coração de seus liderados. Depois de 27 anos na prisão por conta de seus ideais, Nelson Mandela na posição de presidente da África do Sul, teve a faca e o queijo na mão para se vingar de seus opressores com um banho de sangue sem precedentes na historia de seu pais. Mas preferiu os caminhos do perdão e da paz. E os incutiu muito bem em seus seguidores.

O que poucos sabem, porque esse tipo de noticia não dá muito IBOPE, é que Nelson Mandela teve uma formação Cristã em sua infância e tinha a Bíblia por companheira em sua cela na prisão. Se assim não fosse, é bem provável que eu não voltasse vivo daquela viagem...

Alex Dias Ribeiro