Acompanhe nossa postagens no Google

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Site palmense voltado para EBD é sucesso no Brasil e ultrapassa 1 milhão em acessos

Criado pelo professor Ismael Cavalcante, evangelista da CIADSETA, o site http://www.escola-dominical.com/ já obteve acessos em mais de mais de 600 cidades brasileiras,  ultrapassou a marca de 1 milhão de acessos e em média, obteve acessos em 50 países.
Acompanhe a entrevista do professor e evangelista Ismael Oliveira.

EBD – Como surgiu a ideia da criação do site e quando ele foi criado?


ISMAEL – A paz do Senhor a todos. A criação do site foi o resultado de vários fatores, primeiro de uma grande necessidade de material pedagógico voltado para os professores da EBD que eu não encontrava nas muitas pesquisas que eu fazia na internet – isso me incomodava muito. O segundo foi a criação de um blog, que no primeiro momento eu tinha em mente elaborar matérias críticas contra órgãos governamentais, políticos, contra as desigualdade social etc, inclusive publiquei muitas matérias no site “abocadopovo” essas publicações geravam muitas polêmicas e debates (lógico que eu usava um nome fantasia, afinal eu sou um funcionário público). O terceiro e decisivo fator aconteceu durante uma corrida no Parque Cesamar, Deus colocou uma palavra no meu coração que “martelou” na minha mente durante três dias, a mensagem era: “Eu não te chamei para debater, Eu te chamei para fazer a minha obra”, essa mensagem pesou no meu coração e comecei a orar e pedir a Deus uma orientação do que eu deveria fazer, então veio o desejo de compartilhar as aulas ilustradas que eu fazia para ministrar na EBD, a partir de então, reformulei totalmente o blog, e quando vi que a ideia foi bem aceita eu transformei o blog em um site para ter o domínio “.com” e facilitar o acesso dos internautas. 
A primeira publicação voltada para EBD aconteceu no dia 15/05/2011 na 8° lição do 2° trimestre, com o tema “O genuíno culto pentecostal”, como a ideia era primária eu publiquei apenas os slides, sem os comentários e as referências com o texto da lição. Depois disso, estamos tentando melhorar a cada dia até chegar no estágio atual.

EBD – Em termos estatísticos, o site tem bombado em números de visitas em todo o mundo, como você avalia essa evolução?

ISMAEL – Em termos estatísticos não há um dado confiável e preciso, pois eu tenho 5 gerenciadores de acessos ao site e alguns registram determinados acessos que outros não registram. Mas em termos gerais, o site hoje é acessado em mais de 50 países, está presente em todos os continentes da terra, em todos os Estados brasileiros e mais ou menos 600 cidades. Considerando que temos 4 meses e 15 dias de criação do site e a média de acesso ao site está se aproximando de 1000 acessos diários, realmente é uma grande evolução. Mas toda honra e toda glória sejam dadas ao Senhor nosso Deus, criador dos Céus e da Terra, quero continuar sendo apenas mais um de seus instrumentos. Eu atribuo o sucesso do site ao fato dele ter origem no coração de Deus, tenho certeza que muitas vidas estão sendo abençoadas através do site. 

EBD – Qual a maior dificuldade para manter o site?

ISMAEL – São várias as dificuldades, vamos enumerar as principais. A primeira e maior de todas é dificuldade de se ter acesso às imagens bíblicas, há um site muito bom, mas a licença para publicar uma imagem deles é muito caro, eu acho um absurdo, não tenho coragem nem de pedir patrocínio para comprar essas licenças. Consegui comprar 2500 imagens de um site bem mais barato, e vou juntando aos poucos algumas imagens que encontro na internet, mas eu utilizo uma quantidade grande de imagens por lição, não é fácil adequar imagem aos subtítulos de cada lição. A primeira dificuldade fez surgir outra, a de trabalhar as imagens em programas melhores como Corel Draw e Corel Photo-Paint. Tenho que ser autodidata com esses programas porque não disponho de tempo para fazer um curso. Hoje, cerca de 80% das imagens são trabalhadas nesses programas. O tempo gasto para elaborar os slides é outra dificuldade porque eu tenho que dividir, entre o trabalho, igreja, faculdade e a família, às vezes, eu gasto 6 horas para fazer apenas um slide, muitas vezes fico a noite quase toda acordado para conseguir manter o site.

EBD – Há diferenças entre os subsídios das lições bíblicas postadas no seu site para os subsídios do site da CPAD?

ISMAEL – As diferenças são marcadas pelos comentaristas, pois cada subsídio depende da visão e do conhecimento que cada autor tem sobre o tema. Talvez, os comentários publicados pelo site da CPAD sejam um tanto limitados pelo fato de que há um nome grande que eles procuram preservar, evitando assim casos muito polêmicos, acredito que eles procuram o termo médio, o equilíbrio, até para evitar qualquer erro que possa manchar o nome da CPAD, há uma grande reputação em jogo. No site estamos um tanto mais a vontade fazer comentários, falar mais abertamente de assuntos mais polêmicos, lógico que sem abrir mão da ética e da responsabilidade cristã. Hoje procuro parceiros para que possam colaborar com os subsídios, pessoas que dispõe de um bom conhecimento e de uma visão espiritual sadia, mas também não é fácil, já procuramos muitas pessoas, muitos até se prontificaram, mas não sei o que acontece depois, pois eles não parcitipam. Esse é um trabalho voluntário, não posso pagar para quem pode fazer os comentários, então, Deus proverá esses colaboradores voluntários para o site.

EBD – Uma das ferramentas do professor é não ter medo de inovar. O leite tem sido oferecido e vendido como produto indispensável nas mais diferentes embalagens, no transcorrer dos anos. Mas sua composição natural não tem mudado. O site é uma ferramenta nova para evangelizar e ensinar a palavra de Deus, sem alterá-la?

ISMAEL – Tenho duas preocupações nesse sentido. A primeira é que a Palavra de Deus está virando negócio, as pessoas estão sempre querendo lucrar com o Evangelho, dizem que até Luan Santana quer gravar músicas evangélicas visualizando o grande mercado gospel, sinto-me enojado com esse tipo de pensamento. Já recebi propostas e ideias para ganhar dinheiro com o site, mas eu recuso qualquer apelo financeiro para me beneficiar, o evangelho jamais deve ser vendido, se algum dia eu pedir ajuda é para manutenção do próprio site, exemplo, comprar imagens bíblicas e será algo voluntário. A segunda preocupação é com a adulteração do evangelho, há tantos mestres e doutores que estão levando o povo para o caminho das heresias, hoje não se pode confiar em tudo que você acha na internet voltado para o público evangélico, é preciso se ter muito cuidado. A nossa maior preocupação é ajudar no crescimento espiritual da Igreja sem adulterar o verdadeiro e genuíno Evangelho de Cristo.

EBD – Em sua visão, o que precisa ser feito para melhorar ainda mais a qualificação tecnológica dos professores da EBD?

ISMAEL – Entendo que dois ajustes precisam ser feitos. Primeiro, um investimento da diretoria da Igreja nos recursos tecnológicos para melhorar a didática do professor, por exemplo, comprar uma televisão de LCD ou LED grande para transmitir as aulas ilustradas aos alunos com maior qualidade, para que isso aconteça é preciso que a Igreja assuma a responsabilidade com a EBD e não jogue a responsabilidade para a diretoria da EBD, afinal de contas, é na EBD que muitos crentes se fortalecem nas Doutrinas bíblicas, o departamento da EBD é muito sofrido no aspecto financeiro, já fui superintendente da escola dominical várias vezes e sei das grandes dificuldades que passa o líder desse departamento. Portanto falta envolvimento de toda a igreja nesse propósito. A igreja utiliza muito pouco ou nada mesmo dos recursos tecnológicos a seu favor.
Segundo, os professores também tem que se esforçar para utilizar esses recursos tecnológicos, pensando sempre em oferecer o melhor para Deus. Quando fui superintendente da Escola Dominical eu comprei vários quadros brancos para os professores, resultado, os quadros acabaram mofados porque nenhum professor queria utilizar. Infelizmente não adianta comprar computador, data show, televisão, quadros e outros, se o professor não estiver interessado em utilizá-los. Se for preciso a igreja deve oferecer cursos para que os professores estejam devidamente preparados para a era tecnológica.

EBD – Ainda há no Brasil professores que lecionam na EBD apenas por amor, ou seja, lhes falta preparo técnico-pedagógico. Como a Igreja pode contornar esse quadro, considerando dificuldades como a falta de recursos audiovisuais, a falta de verbas e o pouco acesso às tecnologias da informação, como a seu site, por exemplo?

ISMAEL – Como disse anteriormente, falta um pouco de interesse das duas partes, diretoria da igreja e professores, na utilização de recursos pedagógicos e tecnológicos. Quanto ao professor, temos que ter mente que nem todos foram chamados para ensinar, há muitas pessoas no lugar errado, e tanto sofre esse professor sem chamada quanto os alunos dele. Porém, se alguém tem uma chamada, mas ainda está em desenvolvimento, esse professor deve receber total apoio da diretoria da EBD, é para isso que serve essa diretoria, deve ajudar a lapidar esse professor para que seja um proeminente mestre. Veja que tudo está entrelaçado, às vezes o erro começa em colocar uma diretoria que não tem essa sensibilidade de compor um quadro de professores que tenham chamada para o ensino, e um erro vai desencadear outros erros e o resultado é uma Escola Dominical sofrida. 
Mais uma vez reforço a questão de falta de vontade da diretoria da igreja de equipar a Escola Dominical com recursos tecnológicos e outros muito pedagógicos. Podem até dizer: “ahhh, mas a igreja não tem dinheiro pra isso”, mas aí eu pergunto: Como conseguimos construir belíssimos templos e não conseguimos comprar um data show? Como conseguimos os melhores equipamentos de som para a igreja e não conseguimos comprar uma TV de LCD de 42’? Como conseguimos construir uma casa pastoral e não conseguimos comprar um computador? Se você conseguir a resposta me diz porque só consigo fazer a pergunta, mas não consigo responder.

EBD – Philippe Perrenoud (in 10 Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000, p. 137 e 139), ao falar sobre competências fundamentadas em uma cultura tecnológica, afirma que cada vez mais os CD-ROMS e os sites multimídia farão uma seria concorrência aos professores, se estes não quiserem ou não souberem utilizá-los para enriquecer seu próprio conhecimento. Perrenoud ainda infere que a verdadeira incógnita é saber se os professores irão apossar-se das tecnologias como um auxílio ao ensino, para dar aulas cada vez mais bem ilustradas por apresentações multimídia, ou para mudar de paradigma e concentrar-se na criação, na gestão e na regulação de situações de aprendizagem. Na sua opinião, o professor deve apossar-se das tecnologias, dos sites ilustrativos, como ferramentas indispensáveis para o seu labor, de modo a quebrar o modelo tradicional de preleção oral, construindo assim um novo paradigma de ensino-aprendizagem? 

ISMAEL – Eu vou mais além, na era tecnológica que vivemos ou a igreja acorda e se adequa a esses novos recursos pedagógicos ou nossas escolas entrará num processo de decadência, pois se o aluno vai na internet e encontra aulas mais interessantes e aprende mais do que na sala de aula da igreja, ele vai acabar deixando de ir para a EBD na igreja. A diretoria da EBD junto com a diretoria da igreja, têm a responsabilidade de fazer a sala de aula da EBD mais interessante e mais agradável do que qualquer site ou recurso tecnológico fora da igreja. Enquanto a sociedade fora da igreja se deleita com filmes em 3D a igreja não conseguiu romper com o quadro de giz, eu pergunto: Qual dos dois recursos atrai mais as pessoas? Se isso fosse uma corrida de fórmula 1 nós estaríamos pelo menos umas 10 volta atrás dos primeiros colocados, é triste, mas é verdade. O que me alegra, é que podemos mudar isso, que podemos recuperar a nossa posição nessa corrida e sairmos dela vencedores.

EBD – Como você define o docente da EBD o mais completo possível?

ISMAEL - Primeiro, em se tratando de igreja, é imprescindível que o professor tenha o dom de ensinar. 
Segundo, que tenha amor pelos seus alunos, que se importe com o aluno que falta a uma aula, que vai atrás dele oferecendo ajuda. O amor pela sala de aula leva o professor a oferecer o melhor. 
Terceiro, que tenha uma vida exemplar, que tenha um bom testemunho de vida para que seus alunos possam tê-lo como espelho. 
Quarto, que seja esforçado, não seja acomodado, que pesquise, estude, inove, e não tenha medo de investir na sua sala de aula. 
Quinto, que tenha humildade suficiente para saber que toda honra e toda glória devem ser dadas ao Senhor Jesus, e não se envaidecer e achar que é o melhor professor, chegando ao ponto de até menosprezar outros professores. Que não faça do seu ministério uma disputa pessoal e uma forma de se auto promover, como já presenciei professor que por ministrar bem na EBD dizer que quando for chamado para o ministério irá direto a Evangelista porque ele acha que o diaconato ou o presbitério estão inferior ao seu nível espiritual. Que tenha humildade de saber que se o pastor da igreja não o quiser como um superintendente da escola no ano seguinte, ele não faça uma tempestade na igreja para se manter no cargo achando que o mesmo é de uso pessoal. Que tenha humildade de passar por uma diretoria da EBD e voltar a ser professor sem desrespeitar a nova diretoria. Enfim, queira estar apenas onde Deus o quer colocar.
Sexto, que tenha bom ânimo, pois não tem nada pior numa sala de aula do que assistir a uma aula de um professor, moribundo, desanimado, triste, fraco, totalmente desinteressado, fica aquela sensação de perda de tempo.
Sétimo, que tenha esse professor sempre em mente que está trabalhando para o melhor patrão, Deus, que todo o seu esforço e dedicação serão um dia compensados, dessa forma ele terá muito mais motivação no seu ministério.

EBD – Que mensagem você deixaria aos professores e alunos da EBD?

ISMAEL - Aos professores: Nunca achem que já sabe tudo, nunca cansem de buscar conhecimentos e de pesquisar, por melhor que seja a sua aula, ela pode ser melhor. Esteja sempre aberto para as mudanças, ajuste com sabedoria o útil ao agradável. 
Aos alunos: Vocês podem crescer um pouco mais a cada aula, nunca ache que você não vai aprender nada na próxima aula, pois esse é o primeiro passo para quem está ficando raquítico ou para o esfriamento espiritual. Nunca vá para uma aula só pra ver a bela exposição do professor, e ao final de cada aula, pergunte para você mesmo, o que eu aprendi hoje que posso colocar em prática durante a próxima semana, e na outra semana, até virar um hábito espiritual saudável. Pense que naquele dia que você está indo para a EBD, você está autorizando Deus a lapidar você, quanto mais lapidado mais valor, maior será o seu ministério e estrutura espiritual. Tenha em mente que Deus não chamará para o ministério do ensino o preguiçoso, o negligente e o omisso, se você conhece alguém que foi chamado para o ministério nessa situação, te garanto que essa chamada não é de Deus é de homens. Portanto, se fores um bom aluno, a qualquer momento Deus pode te entregar esse ministério maravilhoso do ensino. Fonte: JORNAL EBD MONTE MORIÁ via Jornal da Missão